De Gracia a Poble Sec, hay una nueva ruta por descubrir en Barcelona de bicicleta o caminando con 12 ilustradores portugueses y 9 locales de comercio tradicional de la ciudad Condal.

Después de Lisboa haber acogido esta muestra, A Casa Portuguesa se junta a Bicicleta Voadora para traer el proyecto a Barcelona. El objetivo es mostrar, a través del arte, que es posible moverse bien por la ciudad en bicicleta o caminando y al mismo tiempo dar a conocer algunos artistas portugueses que tendrán sus trabajos expuestos en lugares  más o menos convencionales.

Al hacer este recurrido, se asocia comercio tradicional con movilidad suave, celebrando una ciudad sostenible y promocionando la economía local y responsable en ciudades como Barcelona o Lisboa.

Se trata pues de una ruta urbana, sin pretensiones, en la que podremos conocer el trabajo de algunos ilustradores urbanos y en la que se muestra, una vez más, que las formas de movilidad suaves y sostenibles son una alternativa real para la ciudad de Barcelona.

Juntamente con la exposición se presentará  un cuaderno de hojas blancas, encuadernado por ASSOL (“Associação de Solidariedade Social de Lafões”, con sede en un pueblo en el centro de Portugal).
La portada y contraportada tendrá ilustraciones exclusivas de la ilustradora Susana Matos, una de las artistas participantes en la muestra. El dinero de las ventas de este cuaderno revierte a favor de esta Institución.

El día 1 de Marzo, día de la inauguración, proponemos un paseo de bicicleta o a pie, MONSIEUR VELO / 10H30, con parada en todos los locales participantes y la fiesta final será a partir de las 16h00 en A CASA PORTUGUESA con “petiscos” especiales para el evento, cocktails, música en directo y  Djsets muy divertidos y especiales.

///

Da Gracia à Poble Se, há uma nova rota para descobrir Barcelona de bicicleta ou a pé com 12 ilustradores portugueses e 9 lojas de comércio tradicional.

Depois de Lisboa ter acolhido esta mostra, A Casa Portuguesa junta-se à Bicicleta Voadora para trazer o projecto a Barcelona. Os objectivo é mostrar, através da arte, que é possível deslocar-se pela cidade de bicicleta ou a pé e ao mesmo tempo dar a conhecer artistas portugueses que terão os seus trabalhos expostos em espaços não convencionais.

Ao fazer este percurso, associa-se comércio tradicional à mobilidade suave, celebrando uma cidade sustentável e promovendo a economia local e responsável em cidades como Lisboa ou Barcelona.

Trata-se de uma rota urbana, sem pretensões, dando a conhecer trabalhos de ilustradores urbanos e demonstra que as formas de mobilidade suave e sustentáveis são uma alternativa real para a cidade de Barcelona.

Juntamente com a exposição é lançado um cadernos de folhas brancas, encadernado de forma artesanal pela ASSOL (“Associação de Solidariedade Social de Lafões”, com sede numa pequena vila no centro de Portugal). A capa e contra-capa têm ilustrações exclusivas da ilustradora Susana Matos, uma das artistas presentes na mostra. Os lucros obtidos com a venda deste caderno revertem  a favor da instituição.

No dia 1 de Março, dia da inauguração, propomos um passeio de bicicleta ou pé ( MONSIEUR VELO / 10H30, com paragem em todos os locais e uma festa de inauguração a partir das 16H n' A CASA PORTUGUESA com petiscos especiais para este evento, cocktails, música em directo e Djsets muito divertidos e especiais.


///

12 urban artists from Lisbon and Porto display their illustrations across 9 different shops drawing inspiration from the city.

Their works will be the launching point for a visit to 9 different spaces along an easily accessible art tour, celebrating different routes and paths for discovering Barcelona on foot or bicycle.


// ILUSTRADORES

1. REIS BROTHERS
Dos hermanos que se lanzan  fuera de su territorio, figuras del fantástico colocadas en cima de bicicletas en una demostración de su propia libertad. //

Uma dupla de irmãos que se lança para fora do seu território, amestra figuras do fantástico e coloca-as em cima da bicicleta numa demonstração da sua própria liberdade. //

Two brothers make a bold leap from the familiar; fantastic figures on bicycles express their own liberty.
Site/














///////////
2. DEDO MAU
Dedo Mau, jardinero diletante. Leído aqui. Escuchado allí. //

Dedo Mau, jardineiro diletante. Lido aqui. Ouvido ali. //

Dedo Mau, dilettante gardener. Read here, heard there.
Site/














///////////
3. RICARDO FIGUEIRA
Sin mucha convicción en buscar un estilo propio, prefiere que cada proyecto le dicte sus propias reglas y lo empuje a adaptarse. Siente que por veces este ejercicio es penoso y frustrante, pero también siente que si vive demasiado confortable, deja de evolucionar. //

Sem muita convicção em procurar um estilo próprio, prefere que cada projecto lhe dite as suas próprias regras e o forçe a adaptar-se. Sente que por vezes este exercício é penoso e frustrante, mas se viver demasiadamente confortável, deixa de evoluir. //

Unworried by the search for his own style, he prefers that each project dictate the rules that force him to evolve. He feels that the effort is often painful and frustrating but believes lingering in his comfort zone is a direct obstacle to growth.
Site/















///////////
4. GONÇALO BAPTISTA
Me despierto lleno
Dibujo el camino
Duermo vacio //

Acordo cheio
Desenho o caminho
Durmo vazio //

I wake up full
Drawing the way
I sleep empty
Site/














/////////// 
5.  SUSANA MATOS
Los paisajes son representados con los detalles que solo son observables por quienes se mueven a poca velocidad y con proximidad y donde el tiempo permite contemplar. El observador lee el dibujo, tal como el ciclista lee el paisaje. //

As paisagens são representadas com os pormenores que são apenas observáveis por quem se desloca a pouca velocidade e com proximidade e onde o tempo permite contemplar. O observador lê o desenho, tal como o ciclista lê a paisagem. //

Details in the landscape can only be truly discerned by those willing to slow down and allow themselves time to contemplate. The observer reads the picture like the rider reads the landscape.
Site/










/////////// 
6.  HUGO SERGE O.
Cree en la pureza de los materiales y de las técnicas, pero incentiva el dialogo entre tecnologías. Mezcla con frecuencia tinte permanente con ordenadores. //

Acredita na pureza dos materiais e das técnicas, mas incentiva ao diálogo entre tecnologias. Mistura regularmente tinta permanente com computadores. //

Believes in the purity of materials and techniques, but promotes the dialogue between technologies often mixing permanent ink with computers.
Site/














/////////// 
7.  ISABEL ALVES
Es en el caos que encuentra su orden y en Verano su inspiración. "Lunita from the South" aka Isabel Alves sobrepone su estilo ecléctico a su propia realidad! //

É no caos que encontra a sua ordem e é no verão que encontra inspiração. "Lunita from the South" aka Isabel Alves sobrepõe o seu estilo eclético à sua própria realidade! //

In chaos she finds order and in Summertime her inspiration: "Lunita from the South" aka Isabel Alves flaunts her eclectic style over the trappings of reality.
Site/














/////////// 
8.  ANA GARCIA E HELENA ROQUE
Sin atender a un método único, utilizan en sus ilustraciones un lenguaje plástico que recurre a la técnica mixta, utilizando sobretodo dibujo, pintura y colage. //

Sem atender a um método único, utilizam nas suas ilustrações uma linguagem plástica que recorre à técnica mista, utilizando sobretudo desenho, pintura e colagem. //

Without looking for one unique method, they infuse their illustrations with an artistic language that mixes drawings with painting and collage.

 Ana Garcia
 Helena Roque














/////////// 
9.  JOSÉ JOSUÉ
Presenta un trabajo ecléctico en los temas y en las formas de abordaje, pero mantiene permanentemente dudas sobre su dibujo y su lenguaje, explorando diferentes medios sobre papel. //

O José Josué apresenta um trabalho eclético nos temas e nas formas de abordagem, mas mantém permanentemente dúvidas sobre o seu desenho e sua linguagem, explorando diferentes meios sobre papel. //

Showing eclectic works in themes and ways but keeps the permanent doubts about his draw and his language exploring different ways in paper.
Site/














/////////// 
10.  PEDRO LOURENÇO
El ambiente de elección de Pedro Lourenço se sitúa entre la selva y la ciudad, creando nuevos ambientes sonoros y estéticos. //

O ambiente de eleição do Pedro Lourenço situa-se entre a selva e a cidade, criando novos ambientes sonoros e estéticos. //

The atmosphere of Pedro Lourenço is between the jungle and the city creating new esthetical and musical environments.
Site/
















// LOCALES

1. A CASA PORTUGUESA
C/ Aragón, 111

Mar-Sáb / Tue-Sat/ 13h - 1h
Dom/ Sun/ 13h - 17h
Site/

///////////
2. COSMO

C/ Aragón, 111

Mar-Sáb / Tue-Sat/ 13h - 1h
Dom/ Sun/ 13h - 17h
Site/

///////////
3. PANADERIA BALUARD
C/ de Provença, 279

Lun-Dom/ Mon-Sun/ 10h - 22h

///////////
4. DEMASIE
Roger de Llúria, 8

Lun-Vie/ Mon-Fri/ 7h30 - 21h
Sáb/ Sat/ 9h - 24h
Dom/ Sun/ 9h30 - 21h

///////////
5. MONSIEUR VELO
Ronda del Guinardo, 27

Lun-Vie/ Mon-Fri/ 15h - 20h

///////////
6. MANDAROSO  PASTISO
c/ General Alvarez de Castro, 5/7

Mar-Sab/ Tue-Sat/ 8h-21h
Dom/ Sun/ 9h-14h

///////////
7. LASER BARCELONA
FLAGSHIP STORE
C/ Doctor Dou, 2

Lun-Sab/ Mon-Sat/  11h - 14h30 / 16h - 20h30

///////////
8. MUCHA FIBRA
C/ Carretes, 13 bajos

Mar-Sáb/ Tue-Sat/ 11h - 20h

///////////
9. CAFÉ COMETA
C/ del Parlament, 20

Lun-Mie/ Mon-Wed/ 9h - 22h
Jue/ Thu/ 9h - 23h
Vie-Sáb/ Fri-Sat/ 10h - 24h
Dom/ Sun/ 10h - 22h

// MAPA


// PARCERIAS







Consulado Geral de Portugal em Barcelona






/////////////////////////////////////////////////////////////

ILUSTRAÇÃO VOADORA ES UNA IDEA ORIGINAL/
Bicicleta Voadora

ILUSTRACIÓN/
Miguel Reis

DISEÑO GRÁFICO y WEB/
Rui Henrique

GRACIAS/
A Casa Portuguesa, Leonor, Miguel Reis, Ricardo Figueira, Rodrigo, Gonçalo Baptista, Susana Matos, Hugo Oliveira, Ana Garcia, Helena Roque, Isa, José Josué, Pedro Lourenço,  Duarte Nuno, Sara Martins, Marta Ruivo, Pedro Soveral, Rita Pinheiro, Rodrigo Filipe, Fernando Ferreira, Suzana Carneiro, Marco, Vitor, Matias Pancho y Assol.


12 ilustradores urbanos de Lisboa e Porto expôem os seus trabalhos por 10 locais da capital, sob tema livre e inspirados pela vivência da cidade.

Entre 4 de Outubro e 8 de Novembro de 2014, os trabalhos destes artistas são o ponto de partida para um roteiro que inclui 10 espaços de comércio tradicional e recebe a mobilidade suave e a arte, sem pretensiosismos, celebrando as alternativas que Lisboa oferece para uma cidadania sustentável.

Um roteiro para percorrer de bicicleta ou a pé, para conhecer ilustradores mais e menos conhecidos e ainda ver os trabalhos de alguns artistas brasileiros, através de um intercâmbio com a iniciativa Bike Arte (da associação paulense Aromeiazero).
Encontramos a cada paragem uma peça de decoração urbana em malha, criada pelas artistas da Granda Malha, que identifica cada local e nos alerta sobre os detalhes desta cidade.

Para breve todos os detalhes deste evento.

# Festival Bike Arte_São Paulo-Brasil

"Organizado de forma independente pelo Instituto Aromeiazero e diversos parceiros, o Festival Bike Arte busca mistura exposição cultural, festival de rua, bicicleta, comida, bebida para provocar reflexões por uma cidade melhor para se viver.
No lugar de carros, diversas atividades lúdico-culturais, musicais e de contemplação artística acontecerão durante o dia todo. É da essência do evento que alguma via tenha o trânsito restringido, para que as pessoas consigam vivenciar o espaço público em sua plenitude. Para os organizadores, a ocupação das ruas por pessoas gera afetividade e aproximação com a cidade e com as outras pessoas, gerando transformação e reflexões sobre o modelo de cidade que queremos.
Todo ano artistas são convidados para expressar em diferentes suportes (arte gráfica, fotografia, grafite, ilustração, escultura…) o tema “bicicleta”. Também são promovidas intervenções ao vivo de street art e de estilização de bikes."
Texto retirado do site do Instituto Aromeiazero

É com enorme alegria que comunico que foi estabelecida uma parceria entre a Bicicleta Voadora e o Aromeiazero, com o objectico de promover um intercâmbio cultural entre as duas cidades com vista à promoção da bicicleta como estilo de vida e melhoria da vida nas cidades.

Em resultado deste projecto irão estar representados vários ilustradores portugueses no Bike Arte que aceitarem o desafio de representar a bicicleta como forma de expressão artística.

Para breve darei mais informações de como se irá reflectir em Lisboa este intercâmbio.





/// Leilão do Último Saco Voador

O Saco Voador foi apresentado e com ele lançada a esperança que com pequenos actos no nosso dia-a-dia podemos alcançar muitas coisas bonitas. Os elogios que todo o projecto recebeu assim faz pensar.

Um dos sacos saiu com uma personalidade muito vincada e por esse facto, dicidiu-se fazer um leilão.
Na frente, a impressão serigráfica que para muitos pode parecer defeituosa, para nós, é a beleza que esconde a diferença de um produto que não foi feito em série, nem teve que passar por um rigoroso controlo de qualidade antes de sair da fábrica.

A base de licitação são 5 Euros e podem enviar as propostas para bicicleta.voadora.pt@gmail.com até à próxima terça feira, dia 20 de maio de 2014.
Em Lisboa a entrega será gratuita e para fora de Lisboa acresce os portes de envio.

O valor obtido vai reverter a favor da ASSOL

O Saco contém:
- Caixa em Cartão impressa em serigrafia a uma cor na tampa.
- Desdobrável impresso em serigrafia a uma cor na frente e impressão digital no verso
- Etiquetas em cartão com carimbos e colagens.
- Saco em tecido impresso em serigrafia a uma cor









// Saco Voador_Lançamento



Para quem ainda não tem programa para Sábado, 3 de Maio, cá está uma excelente oportunidade de sair de casa e ir até à Velo Culture! E porquê?

A Bicicleta Voadora teve mais uma ideia que pretende tornar-se um facilitador e transformador de vidas – o SACO VOADOR!

Um saco de pano útil, muito bonito e, claro, com um corte especial adaptado às necessidades dos ciclistas, numa edição limitada de 35 exemplares.
Mas este saco tem muito mais de especial (além de ser voador!) - a ilustração ficou a cargo de HugoSerge O., um criador português que “divide o tempo entre experiências visuais e sonoras”; a produção do saco é do atelier Bashô Cycling Club e por isso, todos os sacos foram produzidos à mão, com materiais comprados no comércio tradicional; a impressão em serigrafia e embalagem é da responsabilidade da Devagarse Encaderna Longe, uma oficina da ASSOL – Associação de Solidariedade Social de Lafões, uma instituição que apoia pessoas com deficência mental e saúde mental crónica.

A Velo Culture aceitou receber o projecto no seu espaço e a animação da tarde vai estar a cargo de melómanos convidados que vão partilhar os melhores hits de vinil da sua colecção.
A prova favorita dos ciclistas começa às 14.30h, uma alley cat (a mais dura de sempre em Lisboa!) que começa e termina na Velo Culture.

Com ideias simples, vamos promovendo e animando a comunidade enquanto passamos um dia entre amigos.

Os 35 exemplares desta edição estarão disponíveis para venda apenas esta tarde.
Cada saco tem um custo de 10€ e todos os lucros obtidos revertem a favor da ASSOL. Toda a informação e trabalho desta associação no site da ASSOL.

Um obrigado muito especial a todos os que fazem com que este projecto faça sentido:
Matias Pancho e todo o pessoal na Assol, Joana Janeiro, Gonçalo Baptista, Hugo Serge O., António Cruz, Miguel Madeira e todo o pessoal na Velo Culture, Sara Martins, Cláudio Soares, Marta Ruivo, Nuno Trindade, Rui Costa, Marisa Brito, Pedro Gil e Rodrigo Filipe.

3 DE MAIO
DAS 14 ÀS 20 H
VELO CULTURE –  LISBOA
Rua de arroios nº4

Rescaldo da Alley Cat Cabeça de Medronho

No passado dia 25 de janeiro, nos jardins de Campolide, para além de uma tarde bem passada, conseguimos angariar mais ou menos 120 medronheiros que seguem directamente para o vale do rio Coa. 
Zona há muito desertificada e que aos poucos a natureza volta a ocupar o seu espaço natural. A Associação Transumância e Natureza está a dar a sua ajuda na Reserva da Faia Brava e desta vez contou com a nossa pequena, mas importante ajuda.

Quanto aos resultados da Alley Cat, foram os seguintes:
 
1º_ Laura Reis _ 4 min 06 seg
2º_ Miguel Reis _ 4 min 07 seg
3º_ Francisco Martins _ 22 min
4º_ Manuel Lino _ 23 min
5º_ Rui Costa _ 26 min
6º_ José Josué _ 27 min
7º_ Maarten _ 34 min
8º_ David Carvalho _ 35 min
8º_ Pedro Fernandes _35 min
10º_ João Rodrigues _ não terminou
11º_ Rogério Machado _ não terminou


Os prémios gentilmente oferecidos pela Associação Transumância e Natureza, foram sorteados quer pelos participantes na corrida, quer por quem apareceu no piquenique de apoio a esta iniciativa do Rolha Cycling Club.

Os dois Voucher para visitar a Faia Brava foram entregues ao Rogério Machado e ao José Josué.
Agora é pedalar até lá.

Agradeço também ao Artur do blog Diário de Lisboa pelas belas fotos que aqui publico.
Mais fotos aqui


Durante o piquenique.

Briefing da prova entre as hortas urbanas no jardim de campolide.


Saída para a alley cat.


A grande vencedora.


 Momento do sorteio.


Enquanto uns se divertiam, outros também se divirtiam nas hortas.